SWXP - Software Experience 2017 | Classifica Tomates
16413
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-16413,ajax_updown_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-6.1,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.2,vc_responsive

Classifica Tomates

Estamos em busca de parceiros para licenciar e desenvolver a tecnologia
parcerias@inova.unicamp.br
(19) 3521-2607 / 2612 / 5012 / 2552

Conheça a Empresa

O programa classifica tomate tem como objetivo classificar e selecionar tomates de acordo com o Formato (Caqui, Saladete, Santa Cruz ou Italiano), Classe (0, 40, 50, 60, 70, 80, 90 ou 100), Cor (Maduro, Imaturo, Pintado ou Colorido) e presença ou não de Defeitos.

O programa obtém o perfil de cores para cada imagem, as dividindo nos canais RGB (Vermelho, Verde e Azul) gerando um gráfico com as três cores em tons de cinza, com 256 tons, com uma tabela com os níveis de cada uma dessas cores presentes na imagem. É determinado a média dos tons de cada um desses canais para cada classe de cor dos frutos, que foi usado como parâmetro para caracterizar a classe da cor. A macro é dividida em duas partes: na primeira divide-se cada uma das imagens em seus canais RGB utilizando-se o canal R (Vermelho), uma vez que esse apresenta maior contraste entre o fruto e o fundo. Procede-se a binarização da imagem e o comando particles analyze, onde se obtém o comprimento e o diâmetro equatorial do tomate. Então é feita a classificação de acordo com o formato e posteriormente pela classe de tamanho.

Na segunda parte é utilizada a imagem inicial do tomate para determinar a cor. Pelas coordenadas do fruto na imagem, determinada na primeira parte da macro, a rotina gera automaticamente uma elipse com dimensões 25% menor que o fruto, tanto na largura quanto na altura, a qual é denominada de Região de Interesse (RDI), determinando-se a média dos tons de verde na RDI. Essa macro repete a classificação para cada uma das imagens contidas em um diretório, criando uma tabela na qual apresenta o nome da imagem, o formato, a classe e a cor do tomate. Para diferenciação da cor entre os tomates foi escolhido o canal verde, que diferenciava entre imaturo, pintado, colorido e maduro. A deformação do fruto e a presença de cancro foram classificados como defeitos. O fruto deformado tem sua aparência depreciada e consequentemente, menor valor comercial.

A deformação foi observada computacionalmente através da Circularidade, tendo-se em vista que frutos em perfeito estado apresentam maior circularidade, enquanto que frutos deformados tem menor circularidade. A presença de cancro foi analisada computacionalmente através do cálculo da área lesionada sobre a superfície do fruto.

Aplicações do Programa de Computador:

  • Classificar e selecionar Frutas e Hortaliças.

 

Autores

Prof. Dr. Inácio Maria Dal Fabbro

  • Professor junto a Universidade Estadual de Campinas e diretor executivo do Centro de Pesquisas Avançadas Wernher Von Braun em Campinas.
  • Doutor em Engenharia Agrícola pela Michigan State University, MSU, Estados Unidos (1979).
  • Mestre em Engenharia Agrícola pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz (1970).
  • Graduado em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz (1968).

 
Prof. Dr. Juliana Aparecida Fracarolli

  • Professora da Universidade Estadual de Campinas.
  • Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (2014).
  • Mestre em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (2011).
  • Graduada em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (2008).

 
Dr. Antonio Carlos Loureiro Lino

  • Pesquisador Científico no Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico de Campinas.
  • Doutor em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Campinas (2008).
  • Mestre em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Campinas (2002).
  • Graduado pela Universidade Federal de Lavras (1985).