Imagem de mulher branca em laboratório ao lado de homens brancos de blazer que conversam enquanto checam o celular. de um deles. Fim da descrição.

Programa FINEP InovaDoc destina até 50 milhões para pesquisadores inovarem

O InovaDoc vai apoiar pesquisadores e grupos de pesquisa para que empreendam e criem spin-offs ou transfiram tecnologias para empresas já existentes.

Texto: Ana Paula Palazi | Imagem: Divulgação Finep

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) está com edital aberto para o Programa Finep InovaDoc, que busca fomentar projetos de inovação provenientes de pesquisas científicas avançadas, para introdução dessas soluções no mercado e comercialização de novos produtos, processos e serviços. O prazo para submissão de proposta vai até 27 de abril.

O Finep InovaDoc irá aportar até 50 milhões de reais em projetos que se enquadrem em quatro áreas temáticas: biotech, nanotech, healthtech e agritech. O programa é voltado para soluções com Nível de Prontidão Tecnológica (TRL) 6 ou superior, que tenham minimamente um protótipo validado.

Para cada linha serão alocados até 12,5 milhões de reais. A chamada vai receber propostas diretamente de pessoas físicas “com elevada qualificação profissional e conhecimento científico”, diz o edital. A oportunidade está aberta para doutores, doutorandos e pessoas em estágio de pós-doutorado.

Pesquisadores e alunos de doutorado ligados à Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que tenham interesse na submissão de propostas com tecnologias desenvolvidas na Universidade, devem entrar em contato com a Inova até 20 de abril para receber o suporte da Agência de Inovação da Unicamp. 

O contato é feito por meio do link de Comunicação de Projetos, disponível no site da Inova Unicamp. Docentes, funcionários e pesquisadores com vínculo vigente precisam incluir seus dados do Sistema de Senha Única e Permissão (SiSe – e-mail institucional @unicamp e senha individual) para acessar a plataforma.

 

COMO FUNCIONA O FINEP INOVADOC?

Os pesquisadores receberão apoio para empreender e criar novas empresas ou transferir tecnologias para empresas existentes, que já estão consolidadas em Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTs), como a Unicamp. 

O valor solicitado na proposta deverá ser de 4 a 5 milhões de reais, sendo 85% do valor exclusivamente destinado a despesas do projeto. O recurso virá do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) na forma de subvenção econômica e, por isso, não precisará ser devolvido pela empresa. 

O prazo final para envio eletrônico da proposta é 27 de abril, às 18h00, no horário de Brasília.

 

O QUE O EDITAL FINEP INOVADOC COBRE?

O programa disponibilizará recursos para desenvolvimento ou aprimoramento de novos produtos ou processos, prototipagem, avaliação de desempenho e segurança, lote piloto, além da cobertura de custos com patenteamento, consultoria de gestão, treinamento da equipe, bem como equipamentos e material permanente que estejam diretamente relacionados à pesquisa. 

 

QUEM PODE SUBMETER PROPOSTA AO INOVADOC?

As propostas para o InovaDoc podem ser submetidas por pessoas físicas, desde que sejam os pesquisadores (doutorandos, doutores ou pessoas em estágio de pós-doutorado) responsáveis pela coordenação do projeto. 

Pessoas jurídicas também podem participar se tiverem até 2 anos de inscrição no CNPJ e receita bruta máxima de 16 milhões de reais, além de ter o pesquisador que será responsável pela coordenação do projeto em seu quadro societário.

Docentes, funcionários e pesquisadores da Unicamp, que tenham interesse em participar com tecnologias desenvolvidas na Universidade, precisam comunicar à Inova Unicamp pelo formulário de Comunicação de Projetos até 20 de abril para receber suporte da Agência de Inovação da Unicamp.

 

LINHAS TEMÁTICAS DO FINEP INOVADOC

O programa Finep InovaDoc busca incentivar a apropriação e inserção dos resultados de pesquisas robustas de ambientes científicos e acadêmicos em setores considerados estratégicos para o desenvolvimento sustentável do País.

Por isso, os projetos devem estar enquadrados em alguma das seguintes áreas

  • Biotech: projetos que utilizem sistemas vivos e organismos para desenvolver ou produzir produtos, ou qualquer aplicação tecnológica que use sistemas biológicos, organismos vivos ou seus derivados para fazer ou modificar produtos ou processos para uso específico.
  • Nanotech: projetos que utilizem tecnologia de manipulação de átomos e moléculas a partir de operações em nanoescala para criação de novos materiais, produtos ou processos através da reestruturação atômica.
  • Healthtech: projetos que desenvolvam equipamentos médicos, pesquisa farmacêutica, pesquisa genômica e bancos de germoplasma, desenvolvimento de exames ou equipamentos vestíveis, entre outros projetos que tenham por objetivo solucionar problemas do setor da saúde.
  • Agritech: projetos que desenvolvam soluções em agricultura de precisão e fabricação de defensivos, bioinsumos e fertilizantes, entre outros desenvolvimentos que tenham por objetivo solucionar problemas da cadeia produtiva agrícola.

 

Confira a íntegra da chamada no site da FINEP.